sábado, 15 de novembro de 2014

Confissões #3


ando extremamente confusa. ando perdida nas cores do mundo. ando sem tempo para nada e com demasiado tempo para pensar em tudo. sinto que algumas coisas têm vindo a tornar-se o que eu queria mas agora sinto-me mais vazia por dentro. falta-me algo nas conversas banais do dia-a-dia, nas pessoas à minha volta. achei que dar-me com toda a gente era a melhor opção, foi o que fiz, mas agora, no fundo, não tenho praticamente nenhum amigo. agora, guardo tudo dentro de mim e sujeito-me a um peso ao qual não estava habituada.

ando a pensar no futuro e todas as ideias que tinha para a minha vida, desvanecem-se, deixando-me sem nada. não me consigo decidir, ponho entraves e defeitos em todas as possibilidades e não o consigo evitar.

ando nervosa, ando ansiosa, e não me sinto feliz na maior parte do tempo, a única coisa que consigo fazer por vezes é chorar. olho para o espelho e pergunto-me continuamente quem será aquela pessoa. a verdade é que ainda não descobri quem sou e a procura deixa-me exausta. não consigo confiar em ninguém para partilhar os meus problemas e, quando consigo, não o faço, uma vez que acho sempre que não vale a pena, que é melhor guardá-los para mim. no fim do dia, só me tenho a mim e às vezes, nem em mim consigo confiar.

estou prestes a cair, preciso que me salvem.

domingo, 9 de novembro de 2014

Diário de Viagem - Croácia: Dia 3

*lembro-vos que isto foi escrito de memória e que planeio acrescentar fotos mais tarde, depois faço um post a avisar para quem estiver interessado no caso de o fazer :)*

* Dia 3 *

Acordei às 4 horas e meia, hora de Portugal, e 6 horas e meia, hora local, se a memória não me falha. Estávamos prestes a entrar na Eslovénia. A curiosidade em relação a esse país nunca despertou dentro de mim e se em relação à Croácia eu sabia mais ou menos o que ia encontrar, devido à curiosidade que despertou quando soube que ia viajar para lá, nada me podia ter preparado para o que ia encontrar na Eslovénia. As autoestradas desapareceram e para onde quer que olhasse, via apenas floresta cerrada coberta com o nevoeiro da madrugada. É uma das imagens mais bonitas que tenho guardado na memória e espero que seja mais uma coisa que dificilmente esquecerei.

Na Croácia, a paisagem volta a mudar um pouco. Continua a haver imensa vegetação por todo o lado, mas vemos o mar pouco depois de entrarmos no país e fez-me lembrar um sítio muito familiar, a serra da Arrábida, aqui ao lado. Chegámos ao resort de Rabac algum tempo depois das sete. Não se deixem enganar pela palavra “resort”. Não era nada de muito luxuoso, era um parque de campismo com três hotéis no mesmo recinto. Mas tinha as suas “luxúrias” como a praia ali à porta e quatro piscinas, uma para cada hotel e uma do parque. Ficámos em bungalows, todos ao pé uns dos outros, quase como se tivéssemos um bairro inteiro só para nós. Fomos todos tomar o pequeno-almoço e depois decidimos deixar as arrumações para outra altura e fomos à piscina. Comecei realmente a criar relações com muitas pessoas, a perder a vergonha de falar e pude realmente divertir-me no resto da viagem.

*quem quiser ler (ou reler): Dia 1 / Dia 2*