domingo, 17 de agosto de 2014

#1

     

     Querido João,

a mãe e o pai discutiram outra vez. Nada de especial, podia ser pior. O suficiente para me deixar triste e frustrada. Não lido bem com frustrações. Pensei em ti, numa tentativa de me distrair. Em como era bom que estivesses aqui. Imaginei-te a apareceres à porta do meu quarto, sabendo imediatamente que eu não estaria a sentir-me bem. Tentei adivinhar o que farias para me acalmar.
      Eles já não discutem e continuo a pensar em ti. Em como seria bom sentir o teu abraço. Em como seria bom se eu estivesse a escrever uma carta que realmente pudesses ler. Em como tudo na minha vida seria diferente, se tudo tivesse corrido bem há quase 19 anos. Em como sinto a tua falta. Tenho pensado mais em ti, tenho pensado mais em tudo isto. Só queria que tivesses tido uma oportunidade de viver, só queria ter tido a oportunidade de te conhecer.


este é o primeiro post de uma nova rubrica, ainda sem nome, que vai servir como um tipo de diário. estas cartas são dirigidas a alguém que nunca cheguei a conhecer mas que, de certa forma, existiu. nada disto é inventado, vou sempre escrever sobre coisas que aconteceram, sobre sentimentos e pensamentos, é apenas uma maneira de eu me abrir e desabafar sobre tudo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

diz-me o que sentes ♥