quarta-feira, 26 de junho de 2013

Eu Amo-te.

Já passou um ano e alguns dias desde a última vez que falámos. Não foi um ano fácil, nem por sombras. Nem imaginas quantas vezes me lembrei dos momentos que passei contigo, que me marcaram, quantas vezes sonhei contigo, quantas vezes disse a mim própria: 'Assim não vais a lado nenhum, é hoje que falas com ele' e quantas vezes cheguei ao fim do dia e pensei: 'És tão cobarde. A culpa foi tua, tu tens de resolver a situação. Mas tu preferes ir pelo caminho mais fácil não é? Desistir. És tão cobarde que não percebes que te vais arrepender para o resto da tua vida'. Não imaginas a quantidade de estratégias em que pensei para voltar a falar-te. Não imaginas a batalha que tive contra mim mesma durante este ano e que eu sei que não vai acabar tão cedo. Não imaginas o que dói quando me olhas nos olhos e eu nos teus, quando passo por ti na escola. Nem imaginas o tamanho da vontade que tenho de te abraçar sempre que isso aconteçe. Estou sempre numa controvérsia de pensamentos, durante o dia, todos os dias, salto do 'Não ia dar em nada, de qualquer maneira' para o 'Mas agora nunca vais saber se ia dar ou não' e depois para o 'É tarde demais' e para o 'Só é tarde demais quando tu decidires desistir'. E acho que é o que estou a fazer neste momento. É um grande ato de cobardia, parece que sou demasiado cobarde para parar de pensar que não consigo. Há algo de intimidante no teu olhar. Há algo em ti que me faz sempre voltar a atrás com a decisão de que 'Vou esquecer'. Há algo que me faz chorar sempre que me lembro daqueles momentos. Mas agora aqui, a escrever isto, com as mãos a tremer, lágrimas a escorrer-me pelo rosto e um aperto enorme no coração eu sei que um dia vou ter de dizer adeus e seguir em frente. Só não sei quando vou estar preparada para esquecer tudo o que me fizeste sentir e deixar outra pessoa fazer-me sentir da mesma forma... No fundo, nem sequer sei se é possivel. Obrigada pelas coisas novas que me trouxeste, obrigada por me teres ensinado a amar de verdade, obrigada por tudo, mas acho que chegou a altura de dizer Adeus.